24 de maio de 2007

Love of my life, don't leave me

No máximo em julho, eu vou me casar.
Preparem a champagne.

Soube há um tempo, assistindo ao programa Top Top, da MTV, que Freddie Mercury foi casado. Com uma mulher. Não lembro detalhes, mas o que registrei das informações dadas foi que ela era o grande amor da vida dele, com quem ele dividiu tudo, até o último dia, a confidente e parceira, a que segurou as pontas e a quem ele deu colo. Foi para ela que ele compôs Love of My Life. Eles namoraram, segundo consta, mas, também segundo consta, a relação nada tinha a ver com isso. Isto é apenas um detalhe: eles namoraram, mas poderiam não tê-lo feito. Eles não trepavam. Não se desejavam. Mas eram apaixonados um pelo outro e foram marido e mulher mesmo depois de terem desfeito os papéis. Ela foi o porto seguro dele sempre: nas questões da vida, da música, da carreira, dos amores, paixões e fodas, da doença que o matou. Viver lado a lado e encontrar a alma gêmea não é uma questão de sexo.

Eu e Arturo vamos morar juntos. Estamos mexendo os pauzinhos e sonhando com nosso apê lindo e fofo. Na verdade, a gente poderia estar buscando meios de cada um morar sozinho, no seu canto, como ele até já faz hoje em dia. Mas a gente quer mesmo é morar junto, ter a companhia um do outro. Um casamento entre amigos.

A gente já experimentou dividir espaço por tempo mais longo em duas viagens que fizemos juntos. Em uma, num muquifo lá em Boipeba, o quarto era cheio de baratas e eu botava ele para matar todas. Ter um homem por perto é ótimo. Na outra, em Sauípe, eu quis matá-lo cem vezes porque ele é a pessoa mais chata do mundo. Metia o dedo na última batata frita do meu prato, me filmava dormindo e me azucrinava sem parar. Resumindo: minha cara-metade.

Além disso, convivemos e nos vemos quase diariamente desde que nos vimos pela primeira vez: já estudamos juntos, agora trabalhamos juntos, tudo no meio da nossa vida social, que se entrelaça totalmente. Sem contar telefone, msn, Orkut, mensagem de celular... A gente não se desgruda.

Não tenho absolutamente nenhum segredo com Arturo. É um saco, porque ele me olha de canto de olho e sabe o que estou pensando. Aí a gente ri junto, fala merda, bebe, vê seriados, dá conselhos, ouve histórias, confessa o inconfessável, fala das intimidades mais íntimas, canta, dança, faz farra, se apóia, se incentiva, se admira, filosofa sobre a vida, cria teorias, analisa as coisas, se lamenta, chora... A afinidade que tenho com ele é incomparável, a gente se entende em tudo. Eu pego, esmago, dou beijo, dou tapa, mordo e lambo. Ele tira meleca e passa em mim. Arturo me pentelha o tempo todo, fica dizendo que eu pareço com uma feiosa aí, puxa minha calcinha no velho estilo cuecão, filma os meus maiores micos, esculhamba tudo. Somos o casal mais apaixonado que conheço.

Só espero que, quando eu ficar viúva, ele me deixe uma fortuna tão grande quanto Freddie Mercury deixou para Mary Austin.

[Mary e Freddie, lindos.]

P.S. 1: Haha, ele vai achar tudo isto ridículo. Babação de ovo não é a nossa, mas, pô, amore, você sabe que te amo loucamente.
P.S. 2: Que droga, Tuca, vê se depois de tanta rasgação de seda você tira aquelas fotos horríveis minhas do seu Orkut, peço isso há quantos anos mesmo?

6 comentários:

  1. Não vou tirar. Lálálá.

    ResponderExcluir
  2. Tome no cu, seu Arturo Francisco. Você é mesmo uma merda, tire e tire.

    ResponderExcluir
  3. chico costa que venha colar meleca em mim. eu escrevo "me chute" com cocô nas costas dele.

    ResponderExcluir
  4. Paulaaa, vi pelo seu orkut...

    o meu blog estava meio abandonado, mas agora que virou
    google-orkut-gmail acho que ficou mais "facinho" de bulir

    ehehe


    entao, estamos ai

    =D

    bjokass

    ResponderExcluir
  5. O lugar é lindo, Boipeba é fantástico, Boipeba é maravilhoso, conheci as lindas praias deste lugar e adorei, visitem Boipeba, vale a pena conhecer essa ilha maravilhosa, Em Boipeba não deixe de conhacer o vilarejo de Velha Boipeba.
    Vivo aqui em Boipeba,faz cinco anos.

    ResponderExcluir